Diferenças entre veículo seminovo e usado

Você sabe a diferença entre carro usado e seminovo?

É comum surgirem várias dúvidas na hora que decidimos comprar um carro. Geralmente a pergunta que fica é: será que eu compro um carro usado ou seminovo? Mas, você sabe a diferença entre essas duas categorias?

Nem sempre sabemos qual a melhor opção.
Saiba que é preciso considerar diversos elementos para definir o valor de um carro, isso inclui: modelo, marca, ano que foi fabricado, acessórios, componentes de segurança, capacidade do motor e outras peculiaridades.

É fato que, um carro zero, ao deixar a concessionária já tem menos valor de mercado.
várias diferenças entre um carro usado e um seminovo. Muitas pessoas acreditam que ambos os termos significam a mesma coisa, o que não é verdade. Existe critérios para classificar um veículo que não tem mais aparência de novo.

Neste artigo vamos mostrar alguns fatores que permitem distinguir facilmente um tipo do outro.

Carro seminovo
O valor de venda de um carro está diretamente ligado ao seu estado atual, sendo que isso envolve várias questões, além da quilometragem percorrida. Essa diferenciação surgiu para responder às necessidades do mercado de venda de automóveis.
Carros com pouco tempo de uso que mantém suas características não devem ser classificados da mesma forma que outros mais rodados.

Por essa razão surgiu os seminovos, uma categoria intermediária. Para se encaixar nessa classificação, o carro precisa ter alguns requisitos, por exemplo:

  • Não pode ter mais de 3 anos de uso;
  • Possuir apenas um dono;
  • Ter quilometragem baixa.

No entanto, não há uma regra que defina a quilometragem máxima. Nesse ponto não podemos estabelecer a diferença entre um carro usado e um seminovo. Embora muitos vendedores usem como parâmetro o máximo de 20 mil quilômetros percorridos.
Veja mais alguns critérios para distinguir um carro usado de um seminovo:

  • O aspecto interno e externo do carro, ou seja, seu estado de conservação;
  • A existência de ferrugem na lataria;
  • Falhas nítidas no motor;
  • Estofamento rasgado ou desbotado;
  • Lataria amassada ou riscada;
  • Mudanças no motor do carro ou no tipo de combustível usado;
  • Acessórios de outros modelos de veículos;
  • Estragos no carro em razão de acidentes ou sinistros.

Para fazer parte da categoria de seminovo, o carro precisa se encontrar em excelentes condições de uso. A mecânica do veículo deve funcionar de forma satisfatória, sem falhas, e se possível, ter pouca quilometragem.

Essa diferenciação ajuda a diminuir o descrédito daqueles carros que permanecem conservados. Isso deixa a pessoa mais segura no momento de comprar um carro.

Carro usado
Agora, entenda como os carros usados são classificados. Saiba que não são poucas as diferenças em relação ao seminovo. Você deve levar em conta inúmeros fatores antes de comprar um carro usado.

Quilômetros rodados: geralmente os carros usados tem mais quilômetros rodados, o que indica mais tempo de uso.

Idade: carro utilizado por mais de 3 anos é considerado usado, mesmo que esteja em boas condições.

Quantidade de proprietários: carros que tiveram apenas um dono tem mais valor de mercado, diferente daqueles que já passaram por diversos proprietários.

Estado de conservação: é importante saber a origem do carro antes de comprar. Embora, seja necessário prestar atenção em coisas que podem estar maquiadas, por exemplo:

  • Peças trocadas;
  • Sistema elétrico deficiente;
  • Defeitos na lataria;
  • Motor falhando;
  • Sinais de avaria.

Conheça o histórico do carro
Saiba que é importante conferir o histórico do carro, seja ele usado ou seminovo. Informe-se sobre as revisões e vistorias pelas quais passou. Quando as revisões são feitas com regularidade, o carro oferece mais segurança e apresenta boas condições, mesmo com vários anos de uso.

Preço: Entender a diferença entre o carro seminovo e o usado é fundamental para estabelecer o preço de venda. Veja alguns critérios de precificação:

  • Tabela FIPE (Fundação de Institutos e Pesquisas Econômicas);
  • Modelo e ano de fabricação;
  • Estado de conservação;
  • Quilometragem percorrida (verificar se há adulteração no painel);
  • Outros itens opcionais (direção hidráulica, ar-condicionado, câmera de ré).

Não existe uma regra para definir o preço de um carro usado ou seminovo porque há muitos fatores que devem ser observados. O importante é ter bom senso para analisar de maneira minuciosa as características do carro. Leve em consideração o custo-benefício do automóvel. O seu valor depende do seu estado de conservação e das suas características originais.

Veja dois exemplos
Vamos supor que você esteja interessado em um carro que já passou por dois proprietários, mas tem apenas três anos de uso. Foi preciso trocar peças e fazer algumas reformas na lataria. Esse carro não pode ser considerado seminovo, mesmo que tenha rodado menos de 30 mil quilômetros.

Igualmente, um carro com 2 anos de uso, mas com danos na lataria em razão de acidentes deve ser classificado como usado, mesmo que tenha tido apenas um dono e pouca quilometragem. No entanto, a classificação pode favorecer carros em perfeito estado, com 2 a 3 anos de uso.

Gostou desse artigo? Compartilhe com os amigos e deixe um comentário. E quando for trocar o seu veículo ou comprar um 0km basta entrar em contato conosco! 

Um abraço.

Teste: Toyota Etios X-Plus 1.5 AT
Teste: Toyota Etios X-Plus 1.5 AT
Post anterior
8 sinais de que o motor do veículo está fundindo
8 sinais de que o motor do veículo está fundindo
Próximo posts

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *